Category: Tendência

Live Shop: essa tendência pega no Brasil?

O modelo de vendas live commerce se popularizou na China e já é um dos principais canais de venda do varejo no país. Somente no ano de 2020, a venda por live shops rendeu mais de US$ 200 bilhões no país asiático e, de acordo com estudos da iResearch, cerca de 1,3 milhão de chineses declaram ter como profissão a venda de produtos através das lives de vendas.  

No Brasil, a modalidade ainda engatinha, mas a tendência é que ganhe cada vez mais adeptos. A proposta dessa nova tendência é proporcionar uma experiência inovadora e diversificada de venda, pois integra mídia, conteúdo, entretenimento e compra. Isso gera uma experiência bem mais completa e humanizada do que só permitir as compras no site. 

Dentre as tantas vantagens, as live shops se diferenciam por não parecer com aqueles famosos comerciais que víamos com frequência nos canais de TV, que utilizavam cenário, trilha sonora e um roteiro fixo no momento da live. A ideia das lives de vendas é que elas sejam planejadas, mas garantam uma espontaneidade, interatividade e transparência, aproximando consumidores do apresentador.  

Este modelo de venda começa a se disseminar no Brasil e deve impulsionar as vendas online. Diversas soluções que têm como foco o live commerce, tem se mostrado um forte canal, com conversões que podem chegar a 10x mais do que o e-commerce tradicional, segundo pesquisa da McKinsey. Entre os sucessos observados nesse ramo, um dos maiores marketplaces de moda da América Latina (Dafiti), aderiu às lives e viu suas vendas crescerem mais de 72% em 2021 e o engajamento do público crescer 90%, segundo reportagem publicada na Exame.  

Assim, é difícil garantir que as live shops no Brasil alcancem as mesmas proporções que na China, devido às diferenças do mercado e cultura. Mesmo assim, esse modelo não será só uma moda passageira, suas vantagens devem ajudar essa tendência a se estabelecer como um canal de vendas complementar aos negócios. Além disso, os varejistas devem priorizar soluções que tornem as lives eficientes e práticas para o consumidor – quanto menor o número de cliques para fechar o carrinho, melhor. 

Learn More

O Futuro do Influenciador

O marketing de influência não é tão recente quanto imaginamos. Apesar de os influencers serem ainda uma profissão relativamente nova, vincular produtos a nomes que possuem uma boa reputação com o público que a marca pretende atingir é uma estratégia que se iniciou ainda em 1760. É isso mesmo! O primeiro caso de sucesso foi quando a Rainha Charlotte impulsionou a marca de porcelanas inglesas Wedgwood. 

 

Desde então, muitas celebridades colaboraram com os mais variados segmentos, assinaram produtos e endossaram marcas. Décadas depois, tais parcerias estão ainda mais em alta, mas com um diferencial, agora a comunicação se preocupa em representar sua audiência, apresentar uma imagem mais próxima da realidade para que o público se relacione profundamente com ela. 

 

Daí que os influenciadores digitais tornaram-se expoentes importantes para impulsionar vendas, principalmente no comércio eletrônico. Esses profissionais fazem diferença nos resultados, especialmente entre o público mais jovem, que não liga tanto para  as campanhas tradicionais.  

Um estudo dirigido pela  Business Insider Intelligence considera que até 2022 o investimento global em influenciadores digitais deve atingir valores entre 5 a 10 bilhões de dólares, longe de indicar uma desaceleração desse mercado. 

 

Além disso, as pessoas estão cada vez mais buscando seguir influenciadores e criadores de conteúdo com os quais se identificam ideologicamente. O público procura ser influenciado por pessoas que tem algo a dizer, além de fotos e vídeos bonitos em seus feeds. Há uma nítida demanda por conteúdos mais humanizados, por isso as marcas buscam influenciadores ― eles humanizam a marca.  

 

As empresas que desejam utilizar o marketing de influenciadores precisam procurar profissionais que façam sentido para a sua marca e propósito. A imagem do influencer tem que estar de acordo com o que a empresa quer representar. Além do mais, o diferencial está quando o próprio criador de conteúdo pode dar o seu toque na publicidade, fazendo-a de forma pessoal e passando longe dos modelos tradicionais de propaganda.

Learn More

Live Commerce: intersecção de 3 tendências

Nos últimos meses, muitos profissionais, estudiosos e comunicadores voltaram seus olhares para uma nova tendência do mercado digital: o live commerce, a grande evolução do e-commerce! 

 

Essa nova modalidade de vendas, que consiste na experiência de compra online onde consumidores interagem ao vivo com influenciadores e vendedores, comprando produtos diretamente durante transmissões ao vivo, têm apresentado resultados promissores e tornou-se o formato de maior crescimento  dos últimos anos na China, país em que o live commerce teve início. 

 

Acompanhando essa tendência que segue potencializando o mercado de vendas digitais no mundo inteiro, marcas brasileiras passaram a introduzir o live commerce em suas estratégias comerciais, e a modalidade vem ganhando cada vez mais força no cenário nacional.

 

Mas, afinal, o que o live commerce tem de especial? A partir da intersecção de três tendências do mercado digital, o formato propõe oferecer entretenimento e compras em um só lugar! 

 

Live Streaming 

 

Uma das características mais importantes do live commerce,  que inclusive compõe seu nome, é o live streaming. Realizar a experiência de compra e venda através de uma transmissão ao vivo é uma estratégia muito interessante, visto que a live permite que o consumidor interaja em tempo real com os vendedores e apresentadores, tirando suas dúvidas e obtendo detalhes sobre os produtos de forma muito mais fácil e rápida. 

 

Além disso, estudos mostram que cada vez mais os internautas têm consumido conteúdos em vídeo. De acordo com a Kantar Ipobe Media,  quase todos os usuários brasileiros (99%) consumiram vídeos, seja por meio da TV, plataformas de streaming, lives e redes sociais em 2020. Dessa forma, o live commerce se torna muito promissor ao propor um formato de vendas online e ao vivo.  

Digital Commerce 

 

Para realizar o live commerce é essencial que o comércio eletrônico esteja vinculado à plataforma de live streaming. Ao ter o e-commerce no mesmo ambiente em que está acontecendo a transmissão ao vivo, o processo de compra se torna mais simples e acessível, uma vez que os consumidores não precisarão deixar a página em que estão assistindo à live para serem redirecionados ao e-commerce onde irão concluir a compra.  

 

Influencer Marketing 

 

Outra grande tendência possibilitada pelo live commerce é a utilização do Marketing de Influência. Aproveitar o carisma, a fama e a influência de uma pessoa reconhecida para apresentar as transmissões ao vivo é uma jogada valiosa e importante. 

 

Os influencers podem agregar valor à marca,  atingir um público específico que o acompanha e está de acordo com a proposta comercial da empresa, além de conquistar o consumidor com mais facilidade, uma vez que as pessoas tendem a dar mais credibilidade às opiniões e recomendações feitas por personalidades conhecidas.

 

Livefy Shop

 

Agora que você já conhece as três tendências que constituem o Live Commerce, deve estar se perguntando se existe uma empresa especializada neste nicho comercial aqui no Brasil. E  a resposta é sim! 

 

A Livefy Shop apresenta a solução completa para você que deseja vender e comprar através de transmissões ao vivo! Unindo entretenimento e compras em um só lugar, nós contamos com vastos recursos tecnológicos e soluções baseadas em dados, a fim de facilitar a conexão entre marcas, influenciadores e consumidores. 

 

Comprar nunca foi tão divertido! Que tal conhecer mais sobre nossa proposta e adotar essa tendência que está ganhando o mundo inteiro em suas estratégias de vendas? Visite nosso site! 

Learn More